8 apostas da coinBR para 2016

28/12/2015 | por Admin | em Curiosidades

bola de cristal

O ano de 2016 deve ser um ano marcante para o bitcoin. Aqui vão algumas previsões. 

1) Preço do bitcoin poderá romper a máxima histórica

A variação do preço do bitcoin no Brasil em 2015 foi bastante expressiva. Segundo dados do site especializado BitValor, a mínima no ano foi de R$ 554,84 por bitcoin, enquanto a máxima chegou a R$ 1891,49. A expectativa da coinBR para o próximo ano é que ainda no primeiro trimestre, o preço da moeda digital ultrapasse os R$ 2000.

Em um cenário conservador, o bitcoin deverá chegar no final de 2016 em torno de US$ 600. A redução da recompensa aos mineradores, prevista para acontecer em julho, e a forte demanda no mercado chinês, aliado ao forte controle de capitais no país asiático, deverão puxar o preço para cima.

O preço médio ao longo do ano deverá ficar em torno dos R$ 3000 e perspectivas importantes de que o preço rompa a máxima histórica atingida em 2013 e ultrapasse a cotação de US$ 1300 no mercado internacional e os R$ 5000 no Brasil.

O mercado deverá reagir de forma bastante confiante caso a velocidade de adoção siga crescente e novos casos de uso se desenvolvam.

2) A resistência do dólar

O cenário político e macroeconômico no Brasil são indicativos de que uma alta ainda mais expressiva do dólar não pode ser descartada 2016. A expectativa conservadora é de um dólar a R$ 3,50, podendo ultrapassar os R$ 4,00 em caso de de piora das contas públicas e aumento mais forte do juros nos EUA.

Mesmo nos períodos de maior volatilidade do mercado internacional de bitcoins, o cenário de alta do dólar e a baixa liquidez relativa faz com que os preços não acompanhem a oscilação na mesma velocidade, assim a alta do dólar poderá funcionar como um colchão para quedas do preço do bitcoin em R$.

3) BTC como investimento será mais atrativo no Brasil

A possível volta da CPMF no Brasil e o aumento da taxação das aplicações em renda fixa devem ser um incentivo para os brasileiros buscarem novas alternativas de investimento e o bitcoin se posiciona como a melhor opção em termos de risco x retorno.

Devemos observar, assim como ocorre no mundo, o aumento do interesse por fundos que queiram expor parte do seu portfólio em bitcoins e outras criptomoedas. O mais importante para quem quer investir em bitcoins é ter uma estratégia adequada de alocação de recursos de acordo com cada perfil de risco e horizonte de tempo.

Confira este post especial sobre investimento que publicamos aqui no blog.

4) Volatilidade segue alta

O aumento do tamanho do bloco, que segue com o debate em aberto entre mineradores e desenvolvedores, é um fator de risco que poderá impactar bastante a volatilidade da moeda. Não é possível fazer projeções sobre o consenso em relação à alternativa que será adotada para aumentar o poder de escala de processamento das transações de bitcoin, deixando o preço spot da moeda muito sensível a essa discussão que ainda promete novos capítulos ao longo do ano.

5) Mercado brasileiro cada vez mais competitivo

O mercado brasileiro deve fechar 2015 com mais de R$ 120 milhões em volume de transações. A nossa expectativa é que em 2016 o mercado brasileiro cresça exponencialmente, com um potencial de atingir cifras em torno de R$ 500 milhões.

Isso deve ocorrer com a melhoria da infraestrutura do mercado local e a maior injeção de liquidez proveniente tanto de moedas minerados quanto de arbitradores profissionais.

Outra tendência importante é o achatamento do spread de arbitragem, devido ao aumento de volume e aumento da correlação com os mercados internacionais.

É bastante factível que dentro dos próximos três anos o Brasil o potencial de mercado se materialize com intensidade, aumento para algo em torno de 1% das transações globais em comparação com os 0,37% observados em 2015.

6) Aplicações de blockchain se proliferarão

Aplicações envolvendo o blockchain público do bitcoin e também blockchains privadas deverão ganhar força no próximo ano. Empresas brasileiras, como a pioneira OriginalMy, deverão agregar bastante ao mercado nacional.

No mundo, a recente aprovação da Securities and Exchange Commission (SEC) para a utilização da Blockchain para o lançamento de ações de companhias no mercado de capitais são prova de que a tecnologia começa a ser mais entendida e aplicada no sistema financeiro tradicional. Uma revolução neste setor está por vir.

7) Empresas brasileiras utilizarão bitcoins para fazer negócios

No Brasil, a tendência é que as empresas utilizem o bitcoin para realizar transações entre si. Nossa aposta é que a moeda digital ganhará tração em transações B2B (business to business) antes do que B2C (business to customer). Esperamos que algum grande player entre neste mercado e provoque uma onda de adesões de outras grandes e médias empresas que vislumbrarão os benefícios da tecnologia para melhorar a eficiência de seus processos e pagamentos.

8) Regulação

O tema da regulação deverá continuar em debate no Brasil e no mundo. Por aqui, a expectativa é que pelo menos mais uma ou duas audiências públicas sobre o assunto aconteçam, dando sequência as discussões iniciadas em novembro de 2015 na Câmara dos Deputados. Contudo, não acreditamos que nenhuma regulação específica para o mercado seja criada e colocada em prática ao longo de 2016. A tendência é que reguladores e legisladores sigam em compasso de observação, acompanhando as experiências internacionais e monitorando a adoção no mercado nacional.

Estaremos ao longo do próximo ano trabalhando intensamente para aprimorar nossas soluções e fazendo nossa parte para propagar informação e atendendo a crescente demanda pela tecnologia.

A equipe coinBR deseja a todos os seus clientes, parceiros e amigos um feliz e próspero 2016.

 

28/12/2015 Compartilhar