Alguém viu Satoshi Nakamoto por aí?

03/05/2016 | por Admin | em Notícias

Screen Shot 2016-05-03 at 12.55.26 PM

Na manhã da última segunda-feira, 2 de maio, a BBC, um dos mais respeitados conglomerados de mídia do mundo, publicou uma entrevista exclusiva com um sujeito australiano chamado Craig Wright, na qual ele se autoproclama o inventor da tecnologia Blockchain e da moeda digital bitcoin.

Curiosamente, ao mesmo tempo que a entrevista ia ao ar, eu e mais de 1500 pessoas estávamos reunidos em Nova York na maior conferência de bitcoin e blockchain do mundo, a Consensus, organizada pela CoinDesk.

Rapidamente, a notícia de que Satoshi ressurgiu das cinzas se proliferou pela audiência e os próprios painelistas começaram a dar sua opinião acerca daquela notícia. Alguns se disseram crentes, outros descrentes.

A declaração que mais chamou a atenção da comunidade bitcoin foi a do cientista chefe da Fundação Bitcoin, o desenvolvedor core Gavin Andrensen. Segundo ele, no início de abril, em um encontro ao vivo, em Londres, Mr. Wright provou que detinha as chaves públicas do primeiro e do nono bloco de bitcoins mineirados, que em teoria estariam em posse da lendária figura de Satoshi Nakamoto.

Em um post em seu recém-criado blog, Wright explicou tecnicamente como havia provado ser o criador do bitcoin. Poucas horas depois, alguns especialistas em segurança da informação, descreditaram a explicação do australiano e afirmaram se tratar de mais um charlatão tentando se passar por Satoshi.

Andrensen afirma que Wright detém muitos conhecimentos sobre bitcoin e criptografia e que ele realmente lembra a pessoa com que ele se comunicava no início da tecnologia, entre 2010 e 2011.

Se Wright conseguiu convencer Andrensen, o mesmo não pode ser dito em relação ao restante da comunidade. Muitas pessoas encontraram falhas na explicação técnica do australiano e disseram que poderiam reproduzir o teste de assinatura das mensagens de forma semelhante.

Para quem não se lembra, Wright foi apontado pelas revistas Wired e Gizmondo em dezembro do ano passado como o provável inventor do bitcoin, após uma série de vazamentos de e-mails, que mais tarde foram identificados como adulterados e falsos.

O especialista mundial e evangelista de bitcoin Andreas Antonopoulos também foi convidado por Wright para ir a Londres participar do processo de verificação da identidade de Satoshi. Sem pensar duas vezes, Andreas recusou o convite.

Para ele, não faz sentido algum uma comunidade que preza pela criação de confiança por meio de uma tecnologia, que é a blockchain, precisar de uma terceira parte para fazer tal verificação. Seria bastante paradoxal isso.

Antonopoulos prega que pouco importa quem é ou deixa de ser Satoshi Nakamoto. O que realmente interessa é que ele, ela, ou eles, criaram uma tecnologia fantástica que já foi adotada por milhões de pessoas em todo mundo e que tem o poder de empoderar financeiramente bilhões de indivíduos que estão alijados do caro e excludente sistema financeiro mundial.

Como diz Andreas: “o único Satoshi que importa é aquele usado para fazer micropagamentos para um novo aplicativo completamente disruptivo”.

No final das contas, eu sou Satoshi. Você é Satoshi. Nós somos Satoshi. O mundo inteiro é Satoshi.

03/05/2016 Compartilhar