Atualização do software do Bitcoin

31/08/2016 | por Admin | em Tecnologia

shutterstock_359177468

Desde que foi criado há oito anos, o protocolo do bitcoin passou por algumas melhorias e atualizações em seu código, que foram desenvolvidas pela comunidade de desenvolvedores. Sempre consensuais, essas mudanças objetivam melhorar a performance técnica do blockchain, tornando-o mais rápido, seguro e eficiente.

O Bitcoin Core está sendo novamente atualizado e torcemos para que as coisas melhorem ainda mais para a moeda digital depois da implementação da nova versão 0.13.0, que traz uma série de características, e que foi disponibilizada para download no último dia 23 de agosto. Dentre as principais novidades, está o que os desenvolvedores chamam de SegWit, como explicamos melhor neste post aqui.

Esta atualização redesenha o processo de verificação das transações no blockchain e resolve problemas famigerados da tecnologia, como a escalabilidade e a maleabilidade. A mudança no protocolo, que também foi chamada de “Assinaturas Separadas”, remove a assinatura digital contida em cada transação de bitcoin e a coloca ao lado da blockchain.

O SegWit, que foi incluído na versão 0.13.0, é uma da soluções propostas para a lentidão no processamento das transação na blockhain, que devido ao grande número de transações estão formando longas e demoradas filas para serem validadas.

Sem promover qualquer alteração no tamanho do bloco, a alternativa do SegWit permitirá que mais transações sejam processadas. Essa alteração será, primeiramente, incluída na rede de teste da blockchain para que seja exaustivamente testada para então ser inserida na rede principal.

O SegWit, que foi amplamente discutido e testado, pode ser visto como a solução pacificadora entre os que defendiam o aumento do bloco do bitcoin e aqueles que preferem seguir à risca o que está escrito no código e mantê-lo inalterado em relação a este ponto. Essas discussões são, desde o final de 2015, importantes vetores de oscilação do preço do bitcoin.

É interessante observar que o SegWit possui um forte consenso entre a comunidade e, ao menos três projetos diferentes vêm testando o código. Várias empresas do ecossistema já declararam que irão fazer a atualização do software assim que eles estiver tecnicamente disponível.

A nova versão do bitcoin também busca resolver o problema da maleabilidade, que permite alguém mudar a identificação única de cada transação que aparece na blockchain antes de ela ser confirmada. Um hacker pode alterar o ID da transação, fazendo com que ela não seja executada. O SegWit resolve essa questão movendo as partes maleáveis da transação em uma transação em separado.

Outra melhoria diz respeito à substituição de um algoritmo de mineração que agora permitirá que transações com baixas taxas de processamento sejam processadas. A versão anterior do bitcoin muitas vezes nem chega a executar essas transações com taxas mais baixas.

Apesar de todas as benesses, é preciso estarmos muito atentos durante a implementação da versão 0.13.0, pois novas linhas de código são sempre mais um alvo para hackers atacarem.

31/08/2016 Compartilhar