Bitfinex: um manual de como socializar prejuízos

18/08/2016 | por Admin | em Economia

hair-pulling_3261885k

Desde 2 de agosto, quando um ataque hacker desviou 120 mil bitcoin na Bitfinex, muitas pessoas têm me perguntado o que fazer para tentar recuperar as perdas sofridas com o incidente.

Diversos investidores brasileiros utilizavam os serviços de swap, alavancagem e  negociação na plataforma da Bitfinex, inclusive com vários casos com montantes significativos depositados na corretora de Hong Kong.

A Bitfinex divulgou uma atualização da investigação sobre as causas que permitiram o roubo de 36% de todos os bitcoins sob custódia da  empresa. A Ledger Labs, startup de tecnologia forense especializada em blockchain, está analisando os sistemas da corretora para determinar exatamente como a falha de segurança aconteceu, além de propor melhorias para o desenho de segurança da plataforma.

Contudo, até o momento, ainda não se divulgou mais detalhes sobre o incidente e as especulações nos fóruns de discussão seguem acaloradas.

Como já relatamos aqui, a Bitfinex confiscou 36% do saldo de todos os clientes para cobrir as perdas decorrentes do ataque, gerando perdas potenciais de US$ 72 milhões.

A solução encontrada pela direção da Bitfinex para manter o negócio vivo foi oferecer como contrapartida para esses 36%, uma dívida emitida na forma de tokens, intitulados BFX, que corresponderiam a ações da corretora. Os tokens foram emitidos com cotação inicial de US$ 1 por unidade. Na semana passada o BFX começou a ser negociado no mercado, oscilando entre mínimas de US$ 0,25 e atingindo cerca de US$ 0,44 nos últimos dias.

Na prática, esta é a primeira vez na história que uma empresa faz uma emissão de dívida forçada utilizando a blockchain. A tokenização de ativos financeiros, um grande mérito da tecnologia blockchain, permitiu que a Bitfinex propusesse essa alternativa e deixasse os participantes do mercado decidirem se eles querem segurar ou negociar esse título de dívida, constituindo uma espécie de abertura de capital forçada, tendo clientes como acionistas.

Pra ficar mais claro, a proposta da Bitfinex é a seguinte:

Todos os clientes tiveram 36% de seu saldo convertido em forma de BFX.
O cliente tem a promessa da empresa de reaver estes recursos, ou parte deles, em algum momento não determinado, a partir dos lucros operacionais da corretora.

Assim, no melhor dos cenários, as vítimas conseguem recuperar todo seu dinheiro. No pior dos cenários, as vítimas perdem 36% e ficam com tokens que não valem nada, realizando a perda total dos recursos confiscados.

Tanto o melhor quanto o pior dos cenários parecem desfechos mais felizes que levar a discussão para justiça e ficar sem absolutamente nada até que uma decisão seja tomada, enquanto os custos com o processo jurídico se acumulam.

Por mais absurda que pareça inicialmente essa proposta, dado o histórico do mercado de bitcoin, essa talvez seja a melhor alternativa, especialmente para o pequeno investidor.

Basta olharmos o desenrolar do caso do maior roubo de bitcoins da história, que envolveu a corretora japonesa Mt. Gox em 2013. Ninguém conseguiu até hoje receber um centavo sequer dos mais de US$ 480 milhões que sumiram no caso do Mt. Gox.

A fragilidade regulatória relacionada às inovações do bitcoin faz com que litígios jurídicos sejam um bom negócio apenas para advogados, que acumulam honorários enquanto a burocracia jurídica tenta entender e criar jurisprudência.

A Bitfinex tinha como alternativa declarar falência e deixar as autoridades decidirem qual seria o processo de ressarcimento dos clientes e qual a responsabilidade dos sócios da corretora.

O pedido de falência provavelmente levaria ao bloqueio de todos os recursos depositados na plataforma, deixando os usuários impossibilitados de acessar até mesmo os 64% dos bitcoins não afetados pelo ataque.

Ao optar pela solução do BFX, a maior parte dos clientes voltou a negociar o saldo residual e a sacar os recursos de forma tão intensa que colocou a Bitfinex de volta na liderança entre as que mais negociam o par BTC/USD, apenas duas semanas depois de um ataque hacker desta magnitude.

A proposta da Bitfinex é totalmente inusitada e, se der certo, pode influenciar profundamente a forma como novos conflitos podem ser solucionados no futuro. Sem dúvida, a experiência trará importantes aprendizados para todo ecossistema relacionado a bitcoin e blockchain.

Portanto, se você perdeu dinheiro na Bitfinex, avalie bem suas alternativas e considere negociar seus BFX’s para mitigar parte dos seus prejuízos. Judicializar o caso pode lhe custar caro e fazer você acabar ficando sem nada.

18/08/2016 Compartilhar