Como a tecnologia vai transformar completamente nossa relação com dinheiro

01/03/2016 | por Admin | em Economia

fintech

Você já ouviu o termo fintech? Se ainda não, saiba que as tecnologias aplicadas ao mundo financeiro estão provocando uma enorme revolução que culminará, nos próximos anos, em uma grande democratização do acesso aos serviços financeiros, ajudando a incluir os 2 bilhões de pessoas que estão fora do sistema.

A Quarta Revolução Industrial está estritamente ligada ao mercado de fintech, que começou a ganhar força nos últimos cinco anos, devido a vários fatores.

O primeiro deles tem a ver com a crise financeira global de 2008, que fez com que a população perdesse confiança nos bancos e nos órgãos reguladores e clamasse por alternativas ao modelo vigente.

O experimento do bitcoin surge nessa onda, oferecendo uma maneira de transacionar valores de forma direta entre os indivíduos, de maneira mais segura e transparente que às alternativas existentes.

É também interessante observar que os consumidores, de maneira geral, agora estão acostumados a experiências online que são mais rápidas, baratas e convenientes, além é claro de estarem acostumados a poder fazer escolhas. Nossas experiências, seja da comunicação instantânea ao serviços de streaming de música e vídeo, estão agora sob a novas experiências baseadas em novas tecnologias.

O modelo financeiro atual, comparado às tecnologias que estamos incorporando em nossas vidas, está com uma cara de obsoleto e restrito. Ele precisará se modernizar ou sofrerá as consequências de sua teimosia.

Atualmente, todos os bancos e instituições financeiras estão debruçados sobre o potencial que as novas soluções que envolvem redes descentralizadas poderão desencadear na sociedade.

As pessoas que nasceram no novo milênio estão criando uma nova demografia mundial e as expectativas dessa crescente população são bastante diferentes das gerações passadas. Em breve, essas pessoas estarão sob o comando da maior parte da riqueza do mundo e elas exigirão serviços melhores e mais democráticos. O crescimento do mercado de fintech tem sido estimulado justamente por essa parcela da população e a tendência de crescimento é irreversível.

Com o crescimento do mercado de smartphones, agora temos verdadeiros supercomputadores em nossos bolsos. Estamos sempre conectados à Internet e isso trará consequências ao mundo financeiro. A forma como conduzimos nossa vida financeira está se modificando profundamente. Os bancos já perceberam isso e partiram com tudo para oferecer aos seus clientes serviços online, mas isso ainda não é o bastante.

Todos esses fatores estão criando as bases para os bancos do futuro, que provavelmente precisarão lançar mão de uma das tecnologias mais disruptivas dos últimos tempos, as redes descentralizadas, como é o caso da Blockchain, a tecnologia que está por trás da moeda digital bitcoin.

Os novos entrantes no mundo financeiro priorizarão soluções financeiras que não envolvam necessariamente uma instituição financeira, mas que tenham ligação com uma tecnologia financeira descentralizada.

De acordo com pesquisa feita pela YouGov, em 2015, 68% das pessoas nunca haviam usado uma tecnologia de serviço financeiro para realizar pagamentos, transferências internacionais e empréstimos, por exemplo.

Daqui a cinco anos, ainda de acordo com a pesquisa, 48% dos entrevistados esperam utilizar algum serviço fintech, enquanto que outros 32% esperam que metade de suas necessidades financeiras sejam sanadas por meio de serviços fintech. No longo prazo, em cerca de 10 anos, 20% dos consumidores esperam que todas as suas necessidades financeiras possam ser resolvidas por meio de serviços fintech.

Um grande mercado está se abrindo e você precisa fazer parte dele. 

01/03/2016 Compartilhar