Entre altas e baixas do bitcoin: o que fazer?

19/06/2018 | por Renata Garcia | em Destaque

Imagem relacionada

Não há como fugir das oscilações do mercado. Assim como aumenta, e enche os olhos de entusiastas ao redor do mundo, o bitcoin também diminui… A mudança é a principal constante neste universo. E, então, surge a dúvida: como agir dentro deste cenário?

O CEO da Stratum coinBR, Rocelo Lopes, é enfático: “O usuário deve ter em mente sempre: os momentos de baixa são para, justamente, adquirir bitcoin”. Simples assim.

A queda dos últimos dias já era esperada, pondera. Em contrapartida, ele calcula que a avaliação de preço inferior a USD 6,2 mil implicaria em uma forte pressão para o custo voltar à casa dos USD 6,4 mil.

“Vamos dar o exemplo de 2013, em que a unidade do bitcoin custava USD 1,2 mil. O valor caiu para USD 150 no mesmo ano. Quem vendeu no desespero? Bem, deve estar arrependido. E quem não estava posicionado para comprar bitcoin a USD 150? Deve estar ainda mais arrependido”, salienta o CEO.

Pouco tempo depois, em 2014, a unidade novamente subiu e chegou a custar USD 600 (equivalente a R$ 1,8 mil).

Acostume-se e prepare-se

“O mercado foi supervalorizado no passado? Sim, sem dúvida nenhuma. Não significa que agora ele ficará estagnado ou seguirá em queda, exatamente pela forma que são feitas as criptomoedas – são itens escassos. O bitcoin está em 17 milhões e seu máximo é 21 milhões. Há, assim, mais 4 milhões a serem minerados. Querendo ou não, em algum momento será necessário fatiar esse bolo, porque não vai ter para todo mundo”, analisa Rocelo Lopes.

O empresário orienta, ainda, conforme as projeções e o perfil de investimento:

# Investir para lucrar a curto prazo => é necessário estar com o dinheiro pronto para comprar, imediatamente; este cliente deve estar constantemente atento ao mercado. 

# Investir para lucrar a longo prazo =>  não há necessidade de se preocupar com as quedas bruscas que acontecem, porque logo o valor novamente estabiliza. “Em dois anos, por exemplo, o bitcoin com certeza vai estar na casa de 25 mil, 30 mil, quem sabe até 50 mil dólares”, antecipa o CEO.

# Trader => este é o momento de estudar; conhecer o mercado. Entender, assim, como funcionam e o que representam os períodos de baixa e alta da criptomoeda.

Influências

Na última semana, entre 10 e 11 de junho, o valor do bitcoin despencou até 10%. Conforme apontam especialistas do mercado, a baixa estaria associada a uma sequência de notícias relacionadas ao ecossistema cripto.

A começar por informações veiculadas acerca de aspectos regulatórios, até rumores de que a Bitmain, maior fabricante de mineradoras do mundo, estaria planejando um IPO em Hong Kong em setembro deste ano. Outra questão que teria impactado o mercado foi o anúncio da principal corretora norte-americana, a Coinbase, sobre um novo fundo disponível a investidores.

A estimativa dos analistas é que a correção no valor do bitcoin se mantenha até as próximas semanas, entre leves oscilações.

19/06/2018 Compartilhar