Especialistas projetam que Bitcoin pode chegar a US$ 100 mil até 2020

18/04/2018 | por Admin | em Destaque

“Sendo conservador, o Bitcoin pode passar os US$ 100 mil até 2020. Agora, se formos analisar os gráficos com relação às últimas altas, até agosto deste ano podemos nos deparar com essa valorização”. A análise é de Fausto Botelho, analista da consultoria Enfoque. Ele foi um dos palestrantes do 3º Bitcoin Summit, da Stratum/coinBR que reuniu mais de 200 investidores em Florianópolis, no início de abril. Botelho participou de um dos painéis do evento que debateu as tendências do Bitcoin, ao lado de Marcelo Brant, investidor P2P, e Safiri Felix, da Consensus Systems.

Juntos, os três especialistas avaliaram o desempenho do Bitcoin nos últimos meses desde o final de 2017 e projetaram as possibilidades de nova alta da criptomoeda e do mercado de moedas digitais como um todo.“Eu invisto em Bitcoin desde 2014 e queda é normal, acontece. Pode ficar tranquilo que vai subir de novo”, afirmou Brant. Na avaliação dele, o ecossistema do Bitcoin como um todo estava melhor em dezembro. “Tinha mais volume, mais gente”.

Sobre a possibilidade de nova alta ainda este ano, Brant diz que o momento é de correção e para subir novamente ele acredita na chegada de um novo perfil de investidores. “O próximo dinheiro a entrar no Bitcoin será o dinheiro institucional, de grandes fundos e bancos”, acredita o investidor. “Como é um processo diferente do investidor Pessoa Física, pode ser que demore um pouco mais para voltar a subir, mas acredito que vá acontecer, é inevitável, não este ano, talvez em 2019 ou 2002”, afirma Brant.

Já Safiri Felix disse à plateia do Bitcoin Summit que não acredita que haverá grandes movimentos antes de julho. “Agora não é um bom momento para tentar prever para o onde o preço do Bitcoin vai”, diz. Para ele, é preciso saber como agir diante de uma situação que é natural no mercado de criptomoedas. “O fato de que muita gente teve uma experiência ruim após a alta e a queda do Bitcoin poderá retardar o movimento de nova alta porque as pessoas tendem a ser mais conservadoras”, explica.

Fausto Botelho explicou que a média de opiniões de que atua no mercado de criptomoedas é que faz o preço cair ou subir. Segundo ele, tem muita gente falando em tendência de baixa, mas é preciso qualificar essa tendência. Ou seja, acompanhar as informações e analisar quem está dizendo o que sobre Bitcoin. “Eu acredito que estamos passando por uma tendência de baixa de curto prazo até 3 meses”, afirma Botelho.

Apesar disso, ele se diz otimista com relação às criptomoedas. “Dá para pensar em sair de bitcoin, mas não necessariamente ir para fiat”, diz o analista sugerindo trocar Bitcoins por outras criptomoedas. “Mas fazendo isso com atenção, analisando o mercado para não comprar moedas digitais que estejam em baixa ou em tendência de queda”, conclui.

18/04/2018 Compartilhar