LaBitConf México – Parte 3: O poder do bitcoin para transferir valor

10/12/2015 | por Admin | em Economia

Photo: Ariel Zambelich/WIRED

Desde o surgimento do bitcoin, duas aplicações estão sendo bastante exploradas por empresas de todo o mundo. A primeira delas é a utilização da moeda digital como uma opção de pagamento por produtos e serviços, tanto online quanto em estabelecimentos físicos. O segundo caso de uso que também apresenta grande potencial é a realização de remessas internacionais e pagamentos cross-borders. Estes assuntos foram amplamente discutidos durante a 3ª Latin American Bitcoin Conference, realizada nos dias 4 e 5 de dezembro, na Cidade do México.

O gerente regional para América Latina da Bitpay, Alberto Liber Vega, a principal empresa de processamento de pagamentos via bitcoins, mostrou com números o sucesso de companhias que passaram a aceitar a moeda digital como meio de pagamento. Para ele, esta é uma tendência irreversível. “A cada dia, mais e mais empresas adotam essa opção de recebimento para seus produtos ou serviços”, disse.

Segundo ele, a Tigerdirect.com, loja online varejista de computadores e eletrônicos, obteve crescimento de 42% no número de novos consumidores durante os seis primeiros meses desde que passou a aceitar bitcoins. O gasto médio desses clientes que pagam com a criptomoeda é 29% maior que aqueles que usam meios de pagamentos tradicionais, conforme verificado pela Tigerdirect.

O mesmo acontece com o site de vendas de serviços e produtos de viagem Destinia.com. Nele, os usuários de bitcoin costumam gastar em média 42% a mais que os outros. No site Takeaway.com, este indicador é ainda maior: 109%. “O impacto de marketing gerado para a empresa que começa a aceitar bitcoin é muito significativo. É uma excelente forma de captar novos clientes a custos muito baixos”, opina Vega.

A prova de que o bitcoin como meio de pagamento está crescendo na América Latina é o site MercadoLibre, que está presente em 13 países da região, e decidiu integrar esta opção de pagamento em sua plataforma de pagamentos, a MercadoPago. Ainda não há data para que esta integração seja finalizada, mas a expectativa é que a possibilidade de se pagar com bitcoins por meio deste famoso site alavanque o potencial da criptomoeda.

No que diz respeito à utilização dos bitcoins para enviar dinheiro de um país a outro, o especialista em remessas internacionais Hugo Cuevas-Mohr, diretor da Cuevas-Mohr Consultoria, que possui mais de 20 anos de experiência neste nicho de mercado, afirma que o bitcoin ainda precisa de mais tempo para se consolidar como um expoente neste mercado tão concorrido. O executivo acredita no potencial da moeda, mas vê uma forte competição com as empresas de telecomunicações que passaram a realizar este tipo de serviço para seus clientes. “O bitcoin somente irá prosperar depois que passar esta onda das empresas de telecomunicação enviarem dinheiro. Ainda há um longo caminho”, opinou o executivo.

O vice-presidente do fundo Pantera Capital, Paul Veradittakit, acredita no potencial deste mercado e explica a diferença que o banco faz entre remessas e pagamentos cross-borders. “As remessas acontecem de uma pessoa para outra, enquanto que os pagamento cross-borders são feitos por empresas. Vemos grande potencial em ambos os casos e por isso estamos investindo em empresas que atuam nesse mercado, principalmente na América Latina”, afirmou, referindo-se ao aporte de capital realizado na empresa argentina Bitpagos.

10/12/2015 Compartilhar