Por que as pessoas caem em golpes e fraudes relacionadas a bitcoin?

21/03/2016 | por Admin | em Economia

Hacking_4

À medida que o número de novos usuários e transações de Bitcoin crescem, a quantidade e sofisticação dos golpes que tenta envolver a moeda digital também aumentam. Por que isso acontece? E por que tantas pessoas continuam sendo enganadas?

Existem inúmeras respostas para as perguntas acima. Uma delas é que mesmo sendo uma uma tecnologia disruptiva, especialmente pelo grau de transparência proporcionado pelo blockchain, o bitcoin não está livre do que acontece em qualquer mercado.

Desde que o mundo é mundo, as pessoas sempre acharam alternativas para enganar os que não estavam bem informados. O esquema de fraude financeira em pirâmide, também conhecido como esquema Ponzi, existe há pelo menos um século e consiste basicamente no recrutamento progressivo de outras pessoas para o sistema. Esse golpe muitas vezes se manifesta com o nome de outros modelos comerciais legais que fazem vendas cruzadas, um exemplo é o marketing multinível (MMN).

Além disso, um dos fatos que pode tornar as pessoas mais suscetíveis a caírem em golpes é que muitos usuários aderiram à rede depois que o bitcoin alcançou preços expressivos, ultrapassando a cotação de mil dólares por bitcoin no final de 2013. Muitas pessoas sentem que perderam o trem e querem desesperadamente alcançá-lo, o que coloca uma pressão psicológica considerável em querer acreditar em negócios muito bons para serem verdade.

Há também o “fator crise”, pense nas pessoas com a conta rodando no negativo há meses. Existe muita gente praticamente buscando por um milagre. Então, quando essas pessoas ouvem falar a respeito de uma tecnologia inovadora como o Bitcoin, elas vislumbram uma saída. É nesse momento que elas também podem ouvir falar de High-Yield Investment Program (HYIP), um investimento (leia-se fraude) de alta rentabilidade. A caça encontra o caçador.

A MMM Global oferece por meio do seu “programa de ajuda mútua” um retorno mensal de 30% para os investidores. O investimento é feito em Bitcoin. Há uma outra opção chamada “MMM Extra” que oferece um retorno de 100% por mês e cumulativos de 409,600% ao ano. Assim como outros esquemas em pirâmide, os usuários também são capazes de obter bônus por referências ou depoimentos postados online, podendo receber 10% de “todas as doações dos participantes que você convidou”. É aqui que entra o marketing multinível (MMN).

A ironia é que supostamente vivemos na era da informação, ou desinformação. As pessoas continuam caindo nesse tipo de esquema. A página de Facebook da MMM Global tem quase 60 mil curtidas e inúmeros vídeos de pessoas contando o quão felizes estão com os seus ganhos. Essa é apenas uma história que se repete, dessa vez com o bitcoin como protagonista. Outros casos como Boi Gordo e TelexFree seguem a mesma lógica.

Inevitavelmente, quem é enganado por esquemas como os citados acaba saindo pior do que entrou. É necessário entender que não existem soluções mágicas para problemas financeiros ou fórmulas infalíveis para enriquecer rapidamente. Qualquer investimento, inclusive os de capital de risco, requer que as possibilidades sejam muito bem estudadas. Do contrário, a chance de se ver vítima de mais um esquema é grande.

21/03/2016 Compartilhar